Loading...
QUEM SOMOS2022-05-09T15:58:32+02:00

A nossa missão é restaurar a justiça para as vítimas de abuso na Europa.

Os valores fundadores da Europa são o respeito pela dignidade humana, pela liberdade e pela igualdade, pelo Estado de direito e pelo respeito pelos direitos humanos.

Estes valores fundamentais da Europa não se aplicaram a centenas de milhares de crianças e jovens na Europa, tendo os seus direitos e dignidade humana sido severamente violados no passado. Estas violações ocorreram de várias formas, especialmente sob a forma de abuso sexual de crianças, através de maus tratos, especialmente em instituições, e através de adoções forçadas.

Dezenas de milhares de vítimas dessa época vivem entre nós. Até hoje, estas vítimas sofrem da injustiça e das consequências dos abusos que lhes foram cometidos. Muitos são psicologicamente sobrecarregados e vivem na pobreza devido à experiência da violência. Em alguns países da Europa, foram já feitos esforços para corrigir o sofrimento, mas na maioria dos países, não se provocou até hoje um confronto sério com os abusos. Esta situação é inaceitável para a Europa enquanto comunidade de valores e tem de ser corrigida. As vítimas devem receber justiça durante a sua vida.

Neste contexto, grupos de vítimas, académicos e ONG de toda a Europa uniram esforços para formular uma iniciativa política conjunta. Pretende-se olhar para o passado, mas sobretudo provocar efeito no futuro.

A origem da nossa iniciativa política

O abuso de crianças e a falta de reavaliação histórica são um problema pan-europeu. Neste contexto, a Suíça é um exemplo quando se trata de lidar com o passado. Uma iniciativa política conduziu a uma solução abrangente. No cerne da iniciativa estavam: Verdade sobre abusos infantis, Reconhecimento oficial, Reparação, Prevenção. O sucesso desta iniciativa deve ser seguido a nível europeu. A experiência da Suíça será a base do trabalho político a nível europeu.

SAIBA MAIS SOBRE NÓS

Abuso na Europa

Jornalistas dos diferentes países europeus descrevem os casos de abusos nos seus países. Todos os artigos estão escritos na língua original. Todos os meses são acrescentados novos artigos.